quarta-feira, 13 de janeiro de 2016

A Colheita do Café

A Transição do Trabalho Escravo Para o Emprego de Mão de Obra Livre Não Foi Acompanhada Por Grandes Inovações Técnicas


A colheita do café, que era o principal produto brasileiro de exportação na segunda metade do Século XIX, constituía-se em processo muito simples: os pequenos frutos maduros eram recolhidos manualmente. Elizabeth Cary Agassiz assim descreveu o que pôde observar quando esteve no Brasil em 1865: 
"Era a época da colheita e o espetáculo que tínhamos diante dos olhos era verdadeiramente pitoresco. Os pretos (¹), homens e mulheres, estavam espalhados pela plantação, trazendo às costas, amarrados às suas roupas, uma espécie de cesto feito de caniços ou de bambus. Dentro dele é que amontoam os grãos de café, uns vermelhos e brilhantes como cerejas frescas, outros já escuros e meio ressequidos, e, de quando em vez, alguns ainda verdes, não de todo maduros, mas não devendo tardar a amadurecer sobre o solo abrasado do terreiro. Pretinhos pequenos, sentados na terra ao pé dos arbustos, ajuntam as cerejas [sic] caídas, cantando um estribilho monótono que tem sua harmonia e seu encanto; um deles faz o canto e os outros o acompanham." (²)
A gradual introdução de mão de obra livre na lavoura cafeeira não veio acompanhada de nenhuma mudança significativa imediata nas técnicas de cultivo e colheita do café, observação que, aliás, pode ser estendida a algumas décadas do Século XX. Lembro-me de haver conversado há alguns anos com idosos que, quando meninos, acompanhavam seus pais, colonos europeus, no trabalho de colher o café, e todos eles foram enfáticos em afirmar que recolhiam os frutinhos que caíam ao chão, exatamente como Elizabeth Cary Agassiz declarou ter observado que crianças escravas faziam. 
A fotografia abaixo, de uma publicação datada de 1889 (³), mostra trabalhadores livres de origem europeia colhendo café em uma fazenda, na então Província de São Paulo. Os leitores, com uma simples observação, irão constatar por si mesmos a rusticidade do processo.

Colheita do café por colonos europeus (³)
(1)  Elizabeth Cary Agassiz usava os termos "escravos" e "pretos" como sinônimos; isso soa absurdo atualmente, mas era muito comum entre autores do Século XIX.
(2) AGASSIZ, Jean Louis R. e AGASSIZ, Elizabeth Cary Viagem ao Brasil 1865 - 1866
Brasília: Senado Federal, 2000, p. 131
(3) ______________ Album de Vues du Brésil
Paris: A. Lahure, 1889
O original pertence à BNDigital; a imagem foi editada para facilitar a visualização neste blog.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Democraticamente, comentários e debates construtivos serão bem-recebidos. Participe!
Devido à natureza dos assuntos tratados neste blog, todos os comentários passarão, necessariamente, por moderação, antes que sejam publicados. Comentários de caráter preconceituoso, racista, sexista, etc. não serão aceitos. Entretanto, a discussão inteligente de ideias será sempre estimulada.