sexta-feira, 25 de setembro de 2015

Nero, os Publicanos e a Cobrança Indevida de Impostos no Império Romano

Como Nero Perdeu Uma das Grandes Oportunidades de Sua Vida


Era o ano 812 da fundação de Roma, mas se preferirem, leitores, podem dizer 59 d.C. Independente do calendário adotado, era Nero quem detinha o poder supremo no Império, em um momento de grande insatisfação popular. E, acreditem, não por obra e graça do ilustre imperador, e sim por causa dos desmandos cometidos pelos publicanos.
Ora, cabe aqui explicar que "publicanos" eram nem mais e nem menos que funcionários cuja tarefa consistia na cobrança de alguns impostos. Esses sujeitos eram dados a exigir mais dinheiro do que era devido ao governo romano, e, naturalmente, ficavam com o "excedente" para si mesmos. Simples assim. O registro de Tácito no Livro XIII dos Annales explica:
"Naquele mesmo ano, diante de tantos protestos da plebe contra os publicanos, Nero esteve a ponto de suprimir todos os impostos de entrada e saída, no que teria feito uma dádiva estupenda aos mortais." (*)
Digam-me, leitores, que lhes parece essa ideia de Nero? A proposta foi, conforme a praxe, amplamente debatida no Senado, que acabou por convencer o jovem mandatário romano de que, caso seu plano fosse adotado, o Império iria à falência. 
Talvez devamos lamentar que não tenham os romanos fabricado, aí, um precedente histórico (em mais de um sentido), ao mesmo tempo em que Nero perdia uma gloriosa oportunidade de tornar-se perpetuamente célebre, e por razão bem diversa de quase todas as outras que o fizeram notável. E, para quem está curioso por saber em que acabou o caso, basta voltar a Tácito:
"Chegou-se a um meio-termo com medidas para reprimir a cupidez dos publicanos, de modo que não viessem a repetir as extorsões que, por anos, se haviam tolerado."
Tácito, infelizmente, nada informa quanto à eficácia das tais medidas destinadas a manter os publicanos sobre controle.

(*) As citações dos Annales de Tácito que aparecem nesta postagem são tradução de Marta Iansen, para uso exclusivamente no blog História & Outras Histórias.

2 comentários:

  1. Realmente este seria um feito histórico inolvidável. Mas dificilmente exequível.
    Também gostaria de saber o que aconteceu depois com esses gulosos publicanos.
    Beijinhos
    Ruthia d'O Berço do Mundo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tácito não deu mais detalhes, embora uma parte considerável de sua obra tenha se perdido, e mais informações poderiam estar lá. Mas o desenrolar dos acontecimentos no Império nos permite supor que os publicanos, após um breve período de bom comportamento, voltaram a ser o que eram: publicanos.
      É pensamento comum a muitos historiadores que os elevados impostos e tributos foram um fator importante para o declínio e queda do Império Romano, já que dinheiro era retirado de atividades produtivas para ser direcionado a coisas altamente dispendiosas como, por exemplo, a manutenção do exército e das diversões públicas, na lógica do "pão e circo".

      Excluir

Democraticamente, comentários e debates construtivos serão bem-recebidos. Participe!
Devido à natureza dos assuntos tratados neste blog, todos os comentários passarão, necessariamente, por moderação, antes que sejam publicados. Comentários de caráter preconceituoso, racista, sexista, etc. não serão aceitos. Entretanto, a discussão inteligente de ideias será sempre estimulada.