quarta-feira, 18 de fevereiro de 2015

Um Pequeno Degrau Móvel Para as Princesas

Como Princesas e Outras Damas Importantes Subiam e Desciam de Carruagens


Não sei se alguém dos leitores já terá imaginado - talvez ao ler alguma coisa da literatura brasileira do Século XIX - quão complicada era a vida das jovens e senhoras de alta posição social, cada vez que tinham de subir ou descer de uma carruagem, coche ou outro veículo qualquer. Sim, porque a moda, com seus longos vestidos, geralmente dotados de armações, não era exatamente um elemento facilitador dos movimentos...
Lembremo-nos, ainda, de que muitas mulheres usavam espartilhos (que horror!), e teremos uma ideia de como era difícil andar com semelhante indumentária, até porque a maioria das damas importantes não era dada a fazer quaisquer exercícios físicos, no sentido que hoje atribuímos à expressão, ou seja, o de atividades esportivas.
Ora, sendo assim, como é que se evitava comprometer a elegância que convinha a gente tão importante, sempre que fosse preciso entrar ou sair de uma carruagem?
Simples: um criado (livre ou cativo) acompanhava a dama que saía a passeio, levando para ela um pequeno degrau móvel que era usado quando necessário. Valia a mesma prática para as moças e senhoras que desejavam andar a cavalo. Então, cada vez que a dama ia entrar em sua carruagem ou montar em um cavalo, o dito criado apresentava-se com o degrau, repetindo a operação quando a madame pretendia descer ou desmontar. 
Como se vê, esse luxo era para poucas. O costume parece ter-se introduzido no Brasil com as princesas e outras damas de importância que vieram ao Rio de Janeiro com o Príncipe Regente Dom João (1808), mas perdurou, entre as mulheres que podiam ter servidores para o dito degrau, enquanto foi corrente o uso de carruagens.


*****

Em 1890, um catálogo americano (de R. S. Luqueer & Co.) oferecia um curioso acessório para pequenas carruagens, que pode ser visto na imagem abaixo:



2 comentários:

  1. Eu acredito que também existiam carruagens com degraus retráteis, não?
    Muito interessante, parabéns.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Certamente. As carruagens mencionadas na postagem são aquelas que foram trazidas de Portugal quando D. João VI e a Família Real vieram ao Brasil (1808) e sabe-se que não eram novas. Algumas datavam do tempo de D. João V. De qualquer modo, mesmo em carruagens sofisticadas, não se dispensava o criado que ajudava as madames, até porque, com aquelas roupas feitas com quase vinte metros de tecido (!), devia ser uma mão de obra e tanto subir ou descer de uma carruagem.
      Obrigada por visitar História & Outras Histórias. Volte outras vezes...

      Excluir

Democraticamente, comentários e debates construtivos serão bem-recebidos. Participe!
Devido à natureza dos assuntos tratados neste blog, todos os comentários passarão, necessariamente, por moderação, antes que sejam publicados. Comentários de caráter preconceituoso, racista, sexista, etc. não serão aceitos. Entretanto, a discussão inteligente de ideias será sempre estimulada.