terça-feira, 14 de março de 2017

Veículos Que Você Não Encontrará Nas Ruas (Mas Que Já Estiveram Nelas)

Em algum desfile ou encontro de proprietários de veículos antigos pode ser; em situações normais, nenhum de vocês, leitores, encontrará veículos como estes nas ruas. Mas eles já estiveram nelas e, lembrem-se, foram considerados como a última palavra em modernidade. Sábias lições podem ser deduzidas!
Comecemos com os de duas rodas do Século XIX. Primeiro, uma bicicleta para um ciclista (*):


Então, este exótico modelo para dois ciclistas (**):


Deixando de lado questões relacionadas ao conforto de quem usava uma bicicleta com rodas tão desiguais, observemos, por um instante, os trajes dos homens que aparecem nas ilustrações, em nada semelhantes aos uniformes dos atletas do Século XXI. Resta saber quem acharia os trajes alheios mais estranhos: se nós, observando os dos antigos, ou se os antigos, se pudessem ver os nossos.
Agora, veículos de quatro rodas. Como ainda acontece, a propaganda nas primeiras décadas do Século XX procurava associar luxo, prestígio, conforto e tecnologia à posse de um automóvel de "último tipo", respectivamente 1912 (***) e 1914 (****):




Finalmente, uma verdadeira relíquia, de que poucos leitores devem ter conhecimento: um bonde-ambulância. É isso mesmo! A notícia da inauguração desse veículo foi publicada na edição de 29 de janeiro de 1922 da revista carioca O Malho (*****), trazendo esta legenda: "O bonde-ambulância, destinado aos serviços da Assistência Pública Municipal, há dias inaugurado." 

Bonde-ambulância no Rio de Janeiro em 1922 (*****)

(*) SPENCER, C. The Modern Bicycle
London: Frederick Warne and Co., 1876, p. 29
(**) Ib., p. 27
(***) ILLUSTRAÇÃO PAULISTA, Ano II, nº 57
São Paulo, 17 de fevereiro de 1912
(****) A VIDA MODERNA, Ano IX, nº 221
São Paulo, 14 de maio de 1914
(*****) O MALHO, Ano XXI, nº 1037
Rio de Janeiro, 29 de julho de 1922. O original pertence à BNDigital.
Todas as imagens desta postagem foram editadas para facilitar a visualização neste blog.

2 comentários:

  1. Que maravilha esse bonde ambulância. Será que sobreviveu algum exemplar, num qualquer museu?
    A minha mãe fala de um carro parecido com esses, que o meu avô teria em Angola. Seria o expoente do luxo... apesar de lento e desconfortável.
    Beijinho
    Ruthia d'O Berço do Mundo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pode ser que exista algum sobrevivente, mas eu não conheço nenhum. Interessante esse caso de Angola - seria ótimo ler a história com mais detalhes em O Berço do Mundo.

      Excluir

Democraticamente, comentários e debates construtivos serão bem-recebidos. Participe!
Devido à natureza dos assuntos tratados neste blog, todos os comentários passarão, necessariamente, por moderação, antes que sejam publicados. Comentários de caráter preconceituoso, racista, sexista, etc. não serão aceitos. Entretanto, a discussão inteligente de ideias será sempre estimulada.