terça-feira, 14 de agosto de 2012

Em Qual Dia da Semana?

"E assim seguimos nosso caminho por este mar, de longo, até que terça-feira das oitavas de Páscoa, que foram vinte e um dias de abril, estando da dita ilha obra de 660 léguas, segundo os pilotos diziam, topamos alguns sinais de terra, os quais eram muita quantidade de ervas compridas, a que os mareantes chamam botelho, assim como outras a que dão o nome de rabo-de-asno. E quarta-feira seguinte, pela manhã, topamos aves a que chamam fura-buxos. Neste dia, a horas de véspera houvemos vista de terra. Primeiramente dum grande monte, mui alto e redondo, e doutras serras mais baixas ao sul dele, e de terra chã, com grandes arvoredos; ao monte alto o Capitão pôs nome o Monte Pascoal, e à terra, a Terra da Vera Cruz."
                                                                              Pero Vaz de Caminha, Carta do Descobrimento do Brasil

Alguém já observou que, em Portugal, alguns dos eventos mais importantes ocorreram sob intensa chuva. No Brasil, alguns dos eventos mais importantes, ao menos para a chamada História Oficial, ocorreram... Em fins de semana.
Vejamos:
D. Pedro como primeiro
imperador do Brasil, de
acordo com Debret (*)
A data oficial da chegada dos portugueses, 22 de abril de 1500, foi uma quarta-feira; a partir daí, entretanto, temos a execução de Tiradentes em 21 de abril de 1792, um sábado, a proclamação da Independência em 7 de setembro de 1822, também um sábado e a abolição da escravatura em 13 de maio de 1888, um domingo. Para completar, um "fim de semana prolongado": a proclamação da República, em 15 de novembro de 1889, aconteceu numa sexta-feira.
Não há nada de mágico ou místico nisso, apenas coincidência, fruto, inclusive, das datas selecionadas como marcos, que poderiam, em alguns casos, até ser outras. Veja-se, por exemplo, que o "Dia do Fico", 9 de janeiro de 1822, foi uma quarta-feira, e a abdicação do primeiro imperador, D. Pedro I, em 7 de abril de 1831, uma quinta-feira. E isso sem levarmos em conta a enorme fila de datas importantes que poderíamos apontar desde a inauguração do período republicano.
A propósito: Consta que, em 12 de outubro de 1822, dia da proclamação de D. Pedro I como imperador do Brasil, choveu a cântaros no Rio de Janeiro, a capital do Império. D. Pedro I, seria, depois, D. Pedro IV em Portugal.

(*) DEBRET, J. B. Voyage Pittoresque et Historique au Brésil vol. 3
Paris: Firmin Didot Frères, 1839 
O original pertence à Brasiliana USP; a imagem foi editada para facilitar a visualização neste blog.


Veja também:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Democraticamente, comentários e debates construtivos serão bem-recebidos. Participe!
Devido à natureza dos assuntos tratados neste blog, todos os comentários passarão, necessariamente, por moderação, antes que sejam publicados. Comentários de caráter preconceituoso, racista, sexista, etc. não serão aceitos. Entretanto, a discussão inteligente de ideias será sempre estimulada.