quinta-feira, 19 de julho de 2012

Anúncios Curiosos das Primeiras Décadas do Século XX - Parte 6

Por séculos, os artigos de higiene pessoal tiveram fabricação caseira, mediante o uso de fórmulas que eram passadas de uma geração a outra, de modo muito semelhante ao que ocorria com receitas culinárias. Poucas eram as pessoas que tinham acesso a produtos mais sofisticados, preparados em pequena escala, de acordo com fórmulas mais do que secretas e postos à venda nas (poucas) lojas especializadas existentes. Por isso, a solução era, quase sempre, fazer, em casa mesmo, os sabões e sabonetes, enxaguatórios bucais e águas perfumadas de que se precisava, seguindo os mesmos procedimentos da mamãe, da vovó, da bisavó...
A produção dos mais diversos artigos em escala verdadeiramente industrial veio alterar esse panorama. Produtos de higiene pessoal ganharam maior oferta, tornaram-se mais baratos e seu uso virou coisa quase obrigatória, sinônimo de civilidade, de respeito do indivíduo para consigo mesmo e para com os semelhantes. Não é, portanto, nenhuma surpresa que os anúncios de artigos de higiene tenham proliferado - era preciso vender o que se produzia, convencendo os potenciais consumidores de que seu uso era indispensável. Meus leitores encontrarão, a seguir, dois ótimos exemplos disso.

Produto para limpeza dos dentes (¹)


Pergunto apenas o que é que um simpático gatinho teria a ver com um dentifrício...

Desodorante para os pés e axilas (²)


(1) O MALHO, 22 de setembro de 1906.
(2) A CIGARRA, 21 de abril de 1915.


Veja também:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Democraticamente, comentários e debates construtivos serão bem-recebidos. Participe!
Devido à natureza dos assuntos tratados neste blog, todos os comentários passarão, necessariamente, por moderação, antes que sejam publicados. Comentários de caráter preconceituoso, racista, sexista, etc. não serão aceitos. Entretanto, a discussão inteligente de ideias será sempre estimulada.