domingo, 8 de julho de 2012

Anúncios Curiosos das Primeiras Décadas do Século XX - Parte 1

Ao folhear a maioria das revistas que estão hoje em circulação podem-se ver muitas páginas dedicadas a anunciar uma grande variedade de produtos e serviços. Uma análise crítica desses anúncios possibilita, ao leitor dessas revistas, verificar quais são as grandes preferências do momento, os desejos dos consumidores, até mesmo os valores que regem o consumo, influenciados, em maior ou menor grau, pela arte da propaganda, capaz, às vezes, de vender como necessárias, coisas que, de outro modo, ninguém pensaria em comprar.
Lembra-se daquele sapato ridículo que você levou pra casa por um preço absurdo, só porque todo mundo estava usando? Ou daquele modelo de roupa que, em fotografias de alguns anos atrás, faz todo mundo rir demais em uma reunião de família? Pois bem, meus leitores, só resta concordar com o fato de que, bombardeados por todo tipo de propaganda, nos mais diversos meios de comunicação, até os mais críticos dentre nós acabam, por vezes, comprando e usando coisas muito estranhas!
No Brasil do começo do século XX os meios de divulgação de bens de consumo e serviços eram ainda modestos. Havia pessoas contratadas para, em alto e bom som, anunciarem uma variedade de produtos pelas ruas mais movimentadas das cidades, mas os jornais e revistas é que desempenhavam o papel de destaque quando se tratava de divulgar o que se pretendia vender. Como as pequenas localidades não tinham lojas importantes para atendimento dos moradores, era frequente que as compras feitas nas capitais dos Estados fossem despachadas para o interior, alcançando os afoitos consumidores principalmente através dos correios. Aqui, naturalmente, as ferrovias tinham um papel importante.
Só mais tarde é que o rádio, popularizando-se, veio a ser o principal meio de propaganda, não deixando de lado o cinema, é claro. Televisão, nesses tempos? Nem em sonho.
Na série que tem início com esta postagem veremos alguns anúncios que apareceram em publicações das duas primeiras décadas do século XX, através dos quais é possível constatar alguns dos gostos e preferências dos que viveram cem anos antes dos dias de hoje. Não eram eles, em essência, assim tão diferentes de nós, por mais que, pretensamente superiores, achemos tudo engraçado.

Produto para cuidados com a higiene dos cabelos


Sim, produtos de tratamento dos cabelos podem ser encontrados em qualquer supermercado decente. Não é aí, portanto, que está a singularidade do anúncio (*), e sim no uso da segunda pessoa do plural: "tereis", "vosso". É certo que nesse tempo não havia, como hoje, um controle tão severo da veracidade dos anúncios, de modo que nada podemos assegurar quanto à eficácia do "Primor"...

Uma loja de presentes muito simpática com as freguesas


Este anúncio (*), por si só, valeria um estudo mais detalhado. Começa remetendo a uma fábula de Esopo, alardeia preços baixos e, finalmente, lança-se ao campo religioso, quando coloca os proprietários do estabelecimento em questão no paraíso, em algum tempo futuro, em virtude de sua camaradagem nos negócios. Ufa!


(*) Ambos os anúncios desta postagem apareceram na revista paulistana A Lua, Ano 1, nº 2,  de janeiro de 1910.


Para ler mais sobre este assunto, acesse:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Democraticamente, comentários e debates construtivos serão bem-recebidos. Participe!
Devido à natureza dos assuntos tratados neste blog, todos os comentários passarão, necessariamente, por moderação, antes que sejam publicados. Comentários de caráter preconceituoso, racista, sexista, etc. não serão aceitos. Entretanto, a discussão inteligente de ideias será sempre estimulada.