terça-feira, 26 de abril de 2011

O Cachimbo de J. S. Bach

Na última semana a imprensa informou que os brasileiros estão fumando menos. Enfim, a ser verdade, eis aí uma boa notícia. A despeito da plasticidade fotocinematográfica da fumaça subindo lentamente, diante de uma personagem em devaneio (como, por exemplo, em "Anjo Azul" e em muitos outros filmes), nem mesmo o mais devoto tabagista seria capaz de negar os danos à saúde que o cigarro pode causar.
J. S. Bach foi um compositor absolutamente fascinante, tanto na quantidade quanto na qualidade de sua obra. Muito conhecido por algumas de suas peças sacras, Bach deixou, contudo, um vasto arsenal de composições profanas, nem sempre tão conhecidas do grande público, mas não menos importantes em termos de bibliografia musical.
Acontece que, além de notável compositor e executante - particularmente ao órgão - Bach foi também um excelente professor, tanto para seus (numerosos) filhos como para seus discípulos (não menos numerosos). Para eles compôs grande quantidade de peças didáticas, das quais se servem ainda hoje os aprendizes de música.
Não, leitor, não mudei de assunto. Como sabemos que Bach era fumante? Entre os alunos de Bach figurou sua segunda esposa, Anna Magdalena Bach, a quem o compositor dedicou dois cadernos de estudos e, no segundo deles (*), anotou uma ariazinha intitulada nem mais nem menos que "So oft ich meine Tobackspfeife", na qual descreve a agradável sensação de ter bom tabaco em seu cachimbo, embora a fumaça que dele subia lhe recordasse, tristemente, o quanto ele próprio era passageiro (**).
Espero que ninguém venha a ter Bach em menor conta por causa disso. O caso é que, no século XVIII, já havia uma certa consciência de que o tabaco podia produzir um hálito desagradável, além de manchas nos dentes, coisas demasiado óbvias, mas os resultados a longo prazo não eram ainda plenamente conhecidos. Não é o caso atualmente!

(*) 2. Notenbuch für Anna Magdalena Bach.
(**) "So oft ich meine Tobackspfeife
         mit gutem Knaster angefüllt,
         zur Lust und Zeitvertreib ergreife,
         so gibt sie mir ein  Trauerbild,
         und füget diese Lehre bei,
         dass ich derselben ähnlich sei."


Para ler mais sobre este assunto, acesse:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Democraticamente, comentários e debates construtivos serão bem-recebidos. Participe!
Devido à natureza dos assuntos tratados neste blog, todos os comentários passarão, necessariamente, por moderação, antes que sejam publicados. Comentários de caráter preconceituoso, racista, sexista, etc. não serão aceitos. Entretanto, a discussão inteligente de ideias será sempre estimulada.