quarta-feira, 30 de junho de 2010

Lobos, Ovelhas e Política Internacional

Na postagem anterior tratei de contos de fadas supostamente destinados a crianças. Hoje falaremos de historinhas para adultos.
Contou-nos Esopo que lobos e ovelhas travavam continuamente uma guerra, que, a despeito da fragilidade das ovelhas, era equilibrada pela presença dos cães pastores que as defendiam. Tendo muito tempo assim se passado, vieram um dia os lobos fazer às ovelhas uma proposta de paz, cujos termos eram os seguintes: lobos e ovelhas viveriam em perfeita harmonia e, para garantir o cumprimento do acordo, ficavam as ovelhas obrigadas à entrega dos cães pastores aos lobos; por sua vez, os lobos deixariam seus próprios filhotes aos cuidados das ovelhas.
As ovelhas deliberaram entre si e, finalmente, concluíram que, tendo em vista a proposta de que deixariam seus filhos como reféns, era evidente a boa fé dos lobos, razão pela qual logo um pacto de eterna fraternidade foi celebrado.
Supondo-se em segurança, as ovelhas voltaram às pastagens. Todavia, ao anoitecer, os lobinhos deram pela falta das mães e começaram a berrar por elas, o que levou os lobos, que andavam à espreita, a comparecerem imediatamente, acusando as ovelhas de atentado contra seus filhotes, o que significava um escandaloso descumprimento do tratado de paz. Isso, diziam os lobos, era legítima justificativa para imediata retaliação. Portanto, toda a alcateia atacou o rebanho que, sem ter os cães pastores como defesa, foi completamente aniquilado.
Sabemos pouquíssimo a respeito de Esopo, a genial figura que criou esta e muitas outras fábulas. Não temos certeza sobre a cidade de seu nascimento, embora pareça certo que morreu em Delfos. Provavelmente não sabia escrever (como muitos dos antigos autores da Grécia), mas suas histórias, preservadas oralmente, foram compiladas por volta de 325 a.C. por Demétrio de Falero, e foi desse modo que chegaram a nós. Ou seja, a fábula é antiga, mas você, leitor, observando o panorama internacional do momento, não terá por certo dificuldades em concluir qual é a moral da história...


Veja também:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Democraticamente, comentários e debates construtivos serão bem-recebidos. Participe!
Devido à natureza dos assuntos tratados neste blog, todos os comentários passarão, necessariamente, por moderação, antes que sejam publicados. Comentários de caráter preconceituoso, racista, sexista, etc. não serão aceitos. Entretanto, a discussão inteligente de ideias será sempre estimulada.